carson-arias-197710-unsplash

A discussão do marcador neutro de gênero sempre suscita paixões. Nos últimos anos, vira e mexe o tema volta aos holofotes.

Em 11/11/2021, o Antagonista noticiou uma circular do Colégio Franco-Brasileiro sobre a adoção de "querides alunes" em seus comunicados. Na matéria, há apenas a brincadeira de que "querides alunes é o triunfo do Mussum. Triunfes".

É, no mínimo, complicado tratar como brincadeira um tema que vem sendo discutido em pesquisas sobre variação e mudança linguística e sobre gênero.

Convidamos você a ler mais sobre o tema, como nós temos feito, para evitar julgamentos sem embasamento ou apenas copiar práticas sem refletir sobre elas.

Para isso, sugiro:

1. Assistir ao vídeo da Jana Viscardi, linguista que trata do tema com profundidade:

 

2. Ler um dos textos mais claros que já li sobre o tema, de Guilherme Teixeira 

3. Baixar o manual para o uso anti-sexista da linguagem

Boas leituras e reflexões!


gênero neutrofeminismomachismolinguagem neutraamiguestodeslinguísticacomunicaçãoequidadediversidade